OBRA (inevitavelmente) GRANDIOSA


Há uma obra grandiosa,

  Inominável,

    Que o mundo todo,

      Em sua milenar existência,

       Jamais executou:

         A fundação e fixação

           Do terceiro milênio,

             Gerando uma nova civilização.

               Portentosa, admirável,

                 Que antes sequer se pensou:

                  O mundo efetivo de Regeneração.

                    Para tal, será preciso

                  Uma total renovação,

                Uma reforma, expurgando o lodo,

              Uma revivescência

             Integral,

           Um florescer, um renascer,

         Mas não material:

       Um burilar, uma lapidação,

     Com cinzel da moral,

   Do Espírito, da essência,

Do Ser imortal!

F. A. Gabilan.

Verão de 2005.

(sob inspiração,em homenagem ao irmão Dirceu Lüttke)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MÃE ENCARCERADA

ELEMENTAIS: o que seriam?

AMAI: do E.S.E. em versos